Atum em crosta de Sésamo e molho Mel e Mostarda

DSC05038_Fotor

Mais uma receita ideal para o verão: lombo de atum fresco com uma mistura saborosa agridoce de mel e mostarda.

Esta receita é muito simples, rápida e fácil. O segredo está em encontrar um bom lombo de atum. Portanto, vá ao mercado ou a peixaria e encontre peixe do dia.

As propriedades e benefícios do atum são, essencialmente, protecção anti-inflamatória, proveniente dos ácidos gordos omega-3, responsáveis por benefícios cardiovasculares; propriedades antioxidante através do manganês, zinco e vitamina C; estudos comprovam a relação entre a ingestão de atum e a prevenção do cancro do aparelho digestivo, pâncreas e ovários; ajuda a diminuir o declínio cognitivo, ou seja, auxilia o funcionamento cerebral; é uma fonte rica de vitaminas do complexo B; e seu consumo está relacionado com a melhoria do humor, uma vez que os ácidos gordos presentes no atum interagem com a química cerebral envolvida no metabolismo da serotonina, responsável pelas sensações de “bem-estar e estar apaixonado”.

atum

Vamos aos frescos:

1kg lombo de atum (fresco/descongelado)
Sementes de sésamo q.b.
Sal fino q.b.
Pimenta preta q.b.
Azeite q.b.

Para o molho:

200g condimento de mostarda (sabor médio)
100g mel

DSC05031_Fotor

Preparo:

Cortar o lombo de atum em tiras menores, ou seja, bifes com cerca de 3cm x 6cm (este tamanho é meramente sugestivo, tal como é mostrado nas imagens)

Temperar os bifes de atum com sal, pimenta preta e passar sementes de sésamo à volta, de modo a que fiquem presas (como se estivesse a panar o atum).

Levar à frigideira com um fio de azeite e selar ligeiramente todos os lados do atum.

Cortar em fatias finas.

O acompanhamento que sugerimos para este prato é uma salada de rúcula, cebola roxa e tomate cherry, bem como outros ingredientes que você pode imaginar para dar cor e sabor a uma boa salada de verão.

Esta receita serve 4 pessoas.

Bom proveito e boas formas de verão com uma receita saborosa e saudável!

Também em Umbigo Magazine.

DSC05045_Fotor

Anúncios

Ceviche de Salmão e Manga

P1100800

Com calor e bom tempo o paladar pede alimentos frescos e saborosos. Por isso, trazemos uma receita tradicional peruana que consiste em peixe cru marinado: o ceviche. Pode tanto ser uma entrada ou um petisco servido com tostas, pão, ou tortilhas; ou um prato principal, desde que tenha um outro acompanhamento mais pesado.

O ceviche tem como ingrediente principal o peixe, ou seja, é uma boa forma de ingestão de proteína com baixo teor de gorduras saturadas e ricas em ácidos gordos ómega 3, importantes para a saúde cardiovascular.

Aproveitamos esta receita para desmistificar a afirmação de que bom peixe cru é aquele consumido fresco. Na verdade, por ser consumido cru, o correcto seria congelar previamente o peixe para eliminar parasitas. Deve também ser consumido rapidamente após a preparação, para reduzir as chances de crescimento bacteriano.

Trata-se de um prato rápido e fácil, em que os ingredientes são consumidos crus, bastando cortar, misturar, temperar e refrigerar.

P1100828

Ingredientes:

300g lombo de salmão
1 manga pequena (cerca de 340g)
60g cebola roxa (metade de uma cebola média)
40g tomate sem sementes (1 tomate pequeno)
100g pepino sem pele e sem sementes (1/2 unidade)
10g malagueta vermelha (1 unidade)
8g coentros
25g sumo de lima (sumo de 2 unidades)
Sal q.b.
Piripiri q.b (opcional)

P1100790

Preparação:

Cortar o salmão em cubos com cerca de 1cm. Reservar e colocar no frigorífico enquanto prepara-se os outros ingredientes.

Cortar a manga em cubos menores.

Os demais ingredientes, cebola, tomate, pepino, malagueta e coentros devem ser picados finamente.

Junte todos os ingredientes e por último tempere com o sumo de lima, sal e piripiri.

Deixe refrigerar por cerca de 20 minutos.

Sirva com tostas, pão, tortilhas ou paparis.

Bom proveito!

Esta receita está em Diários do Umbigo e no Facebook.

ceviche salmão e manga

Profiteroles com Brigadeiro de Manteiga de Amendoim

profiteroles

Doces! Sim, de perder a cabeça!

Já imaginou uma sobremesa com a combinação do chocolate, leite condensado e manteiga de amendoim? Uma delícia que criamos, recomendamos e aprovamos!

O verão está chegando ao fim e nada melhor do que aquecer com esses ingredientes. Trazemos hoje uma receita inovadora, criada por Daiane Lopes e Megan Melling.

Trata-se de uma receita relativamente simples. Porém, é feita em diferentes estágios. Primeiro, a massa. Em segundo lugar, o recheio de brigadeiro e manteiga de amendoim. Em terceiro, as natas batidas em chantilly. Por fim, comer!

2 foto

Para a massa:

250 ml água
125 g manteiga com sal
140 g farinha ( tipo 55 sem fermento)
250 g ovos (5 unidades)

Aquecer a água com a manteiga num tacho, em lume brando, até borbulhar lentamente.

Adicionar farinha e mexer com uma colher de madeira. Ao fim de 2 – 3 minutos a massa deverá ficar pastosa e descolar-se ligeiramente das paredes to tacho.

Transferir a mistura para uma taça e bater (com uma batedeira) durante 30 segundos, de forma a soltar o excesso de humidade.

Adicionar os ovos ainda com a batedeira em movimento, em 5 tempos (devem estar previamente batidos). A massa deverá estar coesa, elástica e húmida.

Deixar repousar sob película durante pelo menos 20 minutos.

Preparar um tabuleiro forrado com papel vegetal e um saco de pasteleiro com uma boquilha de 1 cm de diâmetro. Fazer bolas de 3 cm de diâmetro.

Aquecer o forno a 190ºC. Colocar o tabuleiro de profiteroles e baixar automaticamente para 175ºC. Cozer durante 25 minutos. Baixar novamente a temperatura para os 160ºC e cozinhar durante mais 10 minutos.

Retirar do forno e deixar arrefecer.

Rechear através de um pequeno furo no fundo da lateral do profiterole.

Para o recheio:

395 g de leite condensado (1 lata)
300 g de manteiga de amendoim
300 g de chocolate em barra
30 g de manteiga (2 colheres de sopa)
150 g de natas
60 g de açúcar (4 colheres de sopa)

Levar ao lume o leite condensado e a manteiga de amendoim até começar a ferver.

Em outro recipiente, aquecer o chocolate, a manteiga, as natas e o açúcar, até derreter completamente o chocolate.

Adicionar a mistura de chocolate no preparado de manteiga de amendoim. Mexer bem, até que a mistura fique homogénea.

Para o chantilly:

250 ml de natas para bater
20 g açúcar branco (1 colher de sopa)
15 g sumo de limão (1 colher de sopa)

Bater as natas, o açúcar e o limão até ganhar corpo.

3 foto

Preparo:

A partir daqui, basta rechear os profiteroles, ora com o creme de chocolate, ora com o chantilly, utilizando como topping o que não foi utilizado como recheio. Ou seja, quando no interior estiver chantilly, o topping deverá ser de creme de brigadeiro de manteiga de amendoim, e vice-versa. Pode decorar com amendoins torrados por cima, para dar crocância.

Existem ainda alternativas a este recheio que são oferecidas em Mel’s Vittles, nomeadamente de lima merengada para uma versão diferente, feita por Megan.

Esta receita, tem muitas vantagens. A massa pode ser armazenada crua congelada, bastando assar antes de ser recheada.

O recheio de brigadeiro de manteiga de amendoim pode ter inúmeras outras funções, tais como ser utilizado como cobertura em gelados, fondue com frutas, creme para barrar em pães, croissants, e recheio de bolachas e bombons.

Esta receita serve cerca de 45 unidades.

Também na Umbigo Magazine.

Muito sabor e muita criatividade à mesa!

Pavlova de Banana Assada

Pavlova Banana Assada

Mais uma edição de doces delícias da Irresistível Mistura. Mais uma vez, Daiane Lopes e Rodrigo Saturnino criaram uma receita de fazer suspirar. Uma sobremesa de dar água na boca, para além de ser muito fácil e rápida.

Pavlova é uma receita que o nome homenageia a dançarina russa Anna Pavlova. Trata-se de uma sobremesa feita essencialmente com merengue, que por fora obtém uma textura crocante e por dentro permanece macio e suave. Por cima é servida com natas batidas e frutas.

P1100513

Ingredientes:

250 g Banana (2 unidades grandes)
Açúcar mascavado
Canela em pó
160 g Claras de ovo (4 claras)
Sal q.b.
250 g Açúcar
Essência de baunilha (opcional)
10 g Amido de Milho (1 colher de sopa)
5 g Vinagre ou sumo de limão (1 colher de sopa)
200 g Natas (1 pacote)
30 g Açúcar

P1100511

Preparação:

Descascar as bananas e cortar ao comprido e ao meio.

Assar a banana polvilhada com açúcar mascavado e canela em pó, durante 30 minutos a 160ªC (temperatura média) ou até que fiquem douradas e um pouco crocantes.

Bater as claras em castelo com uma pitada de sal.

Quando estiverem firmes, acrescentar o açúcar.

A seguir juntar o amido de milho e continuar a bater.

Por fim, acrescentar o vinagre e bater até obter uma textura bem firme.

Umas gotas de essência de baunilha é opcional.

Pré-aquecer o forno a 160ºC.

Colocar a mistura sobre papel vegetal em uma forma rasa com ajuda de uma espátula, fazendo um formato circular.

Levar ao forno cerca de 50 minutos a 160ºC ou até que adquira uma cor dourada e textura estaladiça.

Bater as natas com o açúcar até ficarem firmes.

Cortar as bananas assadas em pequenos pedaços.

Depois que o merengue estiver arrefecido, colocar as natas por cima e decorar com os pedaços de banana.

Doces. Doçuras. Delícias!

Esta receita também está em Irresistível Mistura na Umbigo Magazine e na página do Facebook

P1100515

Pesto de Manjericão Roxo e Amendoim

PestoPesto é um molho italiano. Tradicionalmente, é feito com folhas de manjericão, pinhões, queijo parmesão, alho, sal, azeite virgem e pimenta.

Resolvemos arriscar uma receita de pesto alternando alguns ingredientes. Utilizamos manjericão roxo, amendoim e grana padano. O resultado não poderia ser melhor.

O manjericão roxo, assim como o manjericão (basílico) é uma espécie de basilicus. São caracterizados, essencialmente, por deixar os pratos com uma essência agradável e saborosa. São utilizados em massas, molhos, sopas, legumes, entre outros. Porém, o manjericão roxo possui folhas com um perfume delicado e são levemente picantes. Devido a sua delicadeza, pode ser consumido cru, em saladas, ou devem ser acrescentados ao pratos quentes no final da cozedura.

P1100060

Pesto à obra:

60 g manjericão roxo (ou basílico)
30 g amendoim torrado (com ou sem sal)
30 g grana padano (ou parmesão)
1 dente de alho assado (ou cru)
60 g de azeite extra virgem
Sal q.b.

Num processador de alimentos ou num almofariz (pode também ser numa bimby ou  num liquidificador), juntar todos os ingredientes: manjericão, amendoim, queijo, alho, azeite e sal.

Bater até obter uma textura pouco homogénea, pois é importante que se sinta a textura dos ingredientes.

Guardar num frasco bem fechado e sob refrigeração.

Utilizar em massas, pães, molhos, pizzas, tostas, etc.

Tratando-se de um tipo de manjericão mais invulgar e delicado, pode ser difícil encontrá-lo à venda. Esta receita adapta-se perfeitamente ao manjericão (basílico) que encontramos em supermercados e mercearias.

Esta receita foi elaborada em conjunto por Daiane Lopes e Megan Melling que tem o blog Mel’s Vittles onde é possível encontrar mais receitas. Confira!

Ao trocar o basílico por manjericão roxo, o parmesão por grana padano, e os pinhões por amendoim, descobrimos um sabor mais suave e aromatizado que certamente vai conquistar o seu paladar e de todos os convidados.

Esta receita também está disponível em Umbigo Magazine e na página do Facebook Irresistível Mistura.

Bom proveito!

P1100049

Licor de Chocolate

Licor Chocolate

Que tal chocolate para um doce sabor ao final da refeição? E que tal um licor como digestivo? Porque não juntar o melhor dos dois mundos: licor e chocolate? Sim!

Vamos aproveitar esses dias de inverno para aquecer com um licor saboroso e intenso.

Preparamos duas versões de licor de chocolate: a primeira é mais doce, menos intensa e bebe-se facilmente; a segunda é para os amantes de chocolate amargo, forte em cacau e e menos adocicado.

O chocolate interage com a química cerebral, aumentando a produção de feniletilamina, substância associada ao “sentir-se apaixonado”, o que explica a sensação de bem-estar após o seu consumo. Para além disso, o chocolate contém nutrientes que dão energia, melhoram o humor e previnem a insónia.

Poderá encontrar esta receita em Umbigo Magazine Irresistível Mistura na Página do Facebook.

Licor de Chocolate

Licor de Chocolate – Versão 1

200 ml água (a ferver)
100 g chocolate amargo (70% cacau)
100 g chocolate em pó
180 g açúcar amarelo
395 g leite condensado (1 lata)
200 ml whisky

P1100443

Licor de Chocolate –  Versão 2

200 ml água (a ferver)
150 g chocolate amargo (70% cacau)
100 g chocolate em pó
120 g açúcar amarelo
395 g leite condensado (1 lata)
220 ml whisky

Preparo

Numa tigela (preferencialmente de inox) colocar o chocolate amargo aos pedaços, o chocolate em pó e o açúcar.

Juntar a água a ferver e mexer com uma varinha de arames até dissolver bem os ingredientes (cerca de 5 minutos).

Juntar o leite condensado e whisky.

Misturar bem com a varinha de arames.

Guardar em recipiente próprio, tal como uma garrafa de vidro.

O licor terá uma textura espessa.

A história do chocolate remete à mitologia asteca. Reza a lenda que o deus(a) da Luz, Quetzalcoatl, roubou uma árvore de cacau da terra dos filhos do Sol, com o intuito de presentear os amigos homens, com um alimento chamado “delícia dos deuses”. Teoricamente, terá sido esta a razão pela qual o cacaueiro foi chamado Theobroma Cacao: Theo = deus; broma = alimento.

Previa-se que não se conhecia o chocolate até 1492, quando Cristóvão Colombo retornado triunfante das conquistas do Novo Mundo, apresentou à corte algumas sementes de cacau. Em 1519, quando os espanhóis iniciaram a conquista do México, os nativos ofereciam um alimento escuro, em forma de tabletes. Os astecas utilizavam os frutos do cacaueiro para preparar uma bebida fria e espumante.

Alguns estudos recentes afirmam haver vestígios de chocolate em vasos esculpidos em cerâmica, usados em cerimónias como casamentos e nascimentos, 500 anos antes do que se previa.

Os grãos de cacau chegaram à Europa através do conquistador espanhol Hernando Cortez. A bebida passou a ser servida aos nobres e também exercia a função de curar enfermidades. Os espanhóis alteraram o sabor do chocolate, ao invés de utilizar pimenta na bebida, como faziam os astecas, passarem a usar açúcar.

Em 1879 Daniel Peter e Henri Nestlé criaram o “chocolate ao leite”, aperfeiçoado por Rudolphe Lindt no mesmo ano, sendo esta a versão mais próxima do chocolate que é consumido actualmente.

Licor Chocolate

Carapau Assado com Salsa de Pimentos e Batatas com Cebolada de Cogumelos 

carapaus

Jantar com amigos ou almoço de família? Para ambas as ocasiões, uma mesa bem servida.

Porque a união não só faz a força, mas também aumenta a criatividade, os amigos Daiane Lopes e Rodrigo Saturnino juntaram-se para preparar esta refeição.

O carapau é um peixe muito abundante em Portugal. Em média medem de 25 a 40 cm e pesam entre 800 g e 1,5 Kg. Porém, podem atingir até 70 cm e pesar 4 Kg.

As principais propriedades deste peixe consistem em oferecer uma boa fonte de vitaminas do complexo B, vitamina A, proteína e ácidos gordos omega-3. Logo, colaboram com o funcionamento do sistema nervoso e do sistema de defesa, bem como na redução do risco de doenças do coração e vasos sanguíneos.

Pode encontrar esta receita em Diários do Umbigo – Irresistível Mistura e na página Irresistível Mistura no Facebook.

carapaus

Vamos servir 4 pessoas.

Mãos à refeição.

Peixe:

1 kg g carapau (cerca de 4 unidades)
Sal q.b.
Gengibre em pó q.b.
Orégãos q.b.

Salsa de Pimentos:

70 g cebola (1 unidade pequena)
50 g pimento verde (1/4 de uma unidade)
50 g pimento amarelo (1/4 de uma unidade)
80 g tomate (1 unidade pequena)
20 g coentros frescos
50 g azeite (5 colheres de sopa)
20 g vinagre (2 colheres de sopa)
Sal q.b.
Pimenta preta q.b.

Acompanhamento:

1 Kg batatas
800 g cebola
4 g alho (5 dentes)
Louro (2 folhas)
30 g (1/2 molho de coentros frescos)
Sal q.b.
Pimenta preta q.b.
Alecrim q.b.
380 g cogumelos

carapaus

Preparação:

Temperar os carapaus com sal, gengibre em pó e orégãos. Assar cerca de 30 minutos a 180ºC.

Picar em cubos pequenos a cebola, os pimentos, o tomate e os coentros.

Juntar azeite, vinagre, sal e pimenta.

Misturar bem os ingredientes.

Descascar as batatas, cortar aos cubos e cozer cerca de 10 minutos após iniciar a fervura.

Picar as cebolas e os alhos. Refogar em azeite, sal, louro, pimenta e alecrim.

Adicionar os cogumelos e refogar cerca de 10 minutos ou até que os cogumelos estejam cozidos.

Por último juntar os coentros e retificar os temperos.

Servir os carapaus com a salsa de pimentos e as batatas com a cebolada de cogumelos.

Bon Appétit!

carapau

Gaspacho

3

Este tempo de verão continua a trazer inspiração para o Diário “Irresistível Mistura”. Portanto, vamos trocar as tradicionais sopas quentes e vamos refrescar de um modo muito saudável, com uma sopa fria: Gaspacho!

A base desta receita é: tomate, pimento vermelho, pepino, alho, cebola e azeite. A partir daqui, pode-se adicionar outros ingredientes, como pão, ovo, presunto, croutons, bem como os ingredientes que servem de base para a receita, porém cortados em pequenos pedaços.

Escolhemos a maneira mais fácil e rápida de preparar esta sopa fria. As medidas que apresentamos vão conferir um sabor mais suave e pouco ácido. Contudo, gosto não se discute, há sempre liberdade para alterar ingrediente e quantidades.

2

Vamos ao mercado:

750g Tomate (5 unidades)
390g Tomate pelado em conserva (1 lata)
170g Pepino (1 unidade pequena)
190g Pimento vermelho (1 unidade pequena)
90g Cebola (1/2 unidade)
1 dente de alho (pequeno)
800ml Água (aproximadamente)
Vinagre de vinho branco q.b.
Sal. q.b.
Azeite q.b

Preparação:

Lavar bem todos os ingredientes.

Retirar as sementes e a pele do pepino.

Retirar as sementes e o talo do pimento.

Cortar os tomates em pedaços (se preferir pode retirar as sementes), bem como o pepino, o pimento e a cebola.

Juntar todos os ingredientes e passar bem com a varinha mágica.

Sugerimos utilizar cerca de 3 colheres de vinagre e a mesma quantidade para o azeite.

Resfriar e servir.

Esta receita está publicada em Umbigo Magazine – Irresistível Mistura e na página do Facebook Irresistível Mistura por Daiane Lopes.

1

Para saber mais:

O ingrediente principal desta receita é o tomate consumido cru, ou seja, não há perda de vitaminas, tal como acontece com o aquecimento na preparação de molhos. Outro factor importante é o licopeno (responsável pela cor vermelha do tomate) que tem importante acção antioxidante, agindo na neutralização de radicais livres e estimulando a função do sistema imunológico. Outra vantagem de consumir tomate na forma de gaspacho está relacionado com a presença do azeite na receita, o que melhora a absorção de licopeno.

Para além de dessas vantagens, podemos ainda falar no pepino, rico em caroteno (antioxidante que se transforma em Vitamina A depois de ser absorvido pelo organismo), magnésio e potássio. Cebola e alho responsáveis pela diminuição dos níveis de colesterol, de doenças coronárias, entre outros factores. Azeite uma gordura saudável, com ácidos gordos monoinsaturados que protegem a saúde cardiovascular.

A partir daqui, é saborear e aproveitar!

4